Seção 11 do 13
Em andamento

O Trabalho que Reconecta

Ravi Resck 20 de outubro de 2021

Quarenta anos como ativista nos movimentos de paz, justiça e meio ambiente, combinados com o background em budismo, teoria de sistemas e ecologia profunda fizeram de Joanna Macy uma força poderosa para mudanças positivas.

Ela tocou os corações e a mente de milhares. A metodologia que ela desenvolveu por meio do trabalho que reconecta é uma das ferramentas mais poderosas de transformação pessoal, capacitação e criação de agentes de mudança ativos no que Joanna (e David Korten) chamou de The Great Turning(A Grande Virada, no Brasil) – a transição da atual sociedade industrial em crescimento a uma sociedade que sustenta a vida.

O trabalho que reconecta começou na década de 1970 e foi desenvolvido a partir das oficinas de ‘Desespero e empoderamento’ de Joanna, oferecidas como uma maneira de reconhecer sentimentos relacionados à possibilidade real de uma guerra nuclear entre os bloqueios de energia.

O Trabalho que Reconecta nos lembra nossa conexão íntima com a rede da vida e nossa autoridade para agir em seu nome.

Por mais de quarenta anos, Joanna e muitas das pessoas que ela ajudou a treinar como facilitadoras ofereceram esse trabalho a milhares de pessoas em todo o mundo, ajudando-as a encontrar discernimento, solidariedade e coragem para agir, apesar das condições que pioravam rapidamente.

Joanna baseou o trabalho em sua profunda compreensão dos ensinamentos do dharma budista e sua formação em teoria de sistemas.

Juntamente com Arne Naess e John Seed, Joanna ajudou a iniciar o profundo movimento ecológico. O trabalho que reconecta compartilha a plataforma de ecologia profunda que exploramos anteriormente.

No livro “Nossa vida como Gaia” ,  Joanna e Molly Young Brown compartilham um tesouro de exercícios e práticas que compõem o trabalho que reconecta.

” O objetivo central do Trabalho que Reconecta é ajudar as pessoas a descobrir e experimentar suas conexões inatas umas com as outras e com os poderes sistêmicos de autocura na rede da vida, para que possam ser estimulados e motivados a desempenhar seu papel na criação. Uma civilização sustentável. Para fazer isso, buscamos os seguintes objetivos:

Proporcionar às pessoas a oportunidade de experimentar e compartilhar com outras pessoas suas respostas mais íntimas à condição atual de nosso mundo

Reformular sua dor pelo mundo como evidência de sua interconexão na rede da vida e, portanto, de seu poder de participar de sua cura

Fornecer às pessoas conceitos – desde ciência de sistemas, ecologia profunda ou tradições espirituais – que iluminam esse poder, além de exercícios que revelam seu papel em suas próprias vidas

Fornecer métodos pelos quais as pessoas possam experimentar sua interdependência, sua responsabilidade pela vida.

Conectar as pessoas com a inspiração que podem tirar das gerações passadas e futuras e outras formas de vida

Capacitar as pessoas a abraçar a Grande Virada como um desafio que elas são plenamente capazes de enfrentar de várias maneiras e como um privilégio pelo qual podem se alegrar

Levar as pessoas a apoio mútuo e colaboração no trabalho para o mundo. ” Joanna Macy

pt_BR