Mapeando Redes com Kumu – Uma (pequena e divertida) Introdução

Categoria

Blitz

Facilitador por

Luana M Soares

Data e Horário

23/05/2021
16:00 GMT-3 (BRT)

Formato e Local

Buscamos apresentar o Kumu, ferramenta de mapeamento de redes e sistemas, de forma prática e lúdica. Faremos isso através de uma pequena exposição sobre o conceito de redes, complexidade e mapeamento para depois jogaremos um jogo (ou dois jogos – dependendo do tempo) em que colocaremos em prática tudo aquilo que foi discutido no começo da oficina. Esta Blitz é voltada para pessoas que estão começando a mexer com a ferramenta e querem saber um pouco mais sobre redes. (Não é necessário nenhum tipo de conhecimento prévio)

Conheça quem vai facilitar

Animadora em Redeficções, estudante de Geografia pela Universidade de São Paulo e entusiasta da complexidade e fenômenos humanos, Luana trabalha como facilitadora de oficinas para jovens em que busca despertar seus olhares para a construção de um mundo com mais nuances e regenerativo. Além disso, tem se apaixonada cada vez mais pela arte de pedalar por aí.
pt_BR

Abordagens

acreditamos que os métodos devem estar a serviço das pessoas e comunidades.

Esta é uma lista de metodologias que será constantemente atualizada de acordo com a evolução da nossa compilação de tecnologias sociais.

Se você tiver sugestões de abordagens complementares não hesite em contactar-nos.

Design Thinking

Conjunto de ideias e insights para abordar problemas, relacionados a futuras aquisições de informações, análise de conhecimento e propostas de soluções.Adotado por indivíduos e organizações, principalmente no mundo dos negócios, bem como em engenharia e design contemporâneo, o design thinking tem visto sua influência crescer entre diversas disciplinas na atualidade, como uma forma de abordar e solucionar problemas.

Teoria U

Propõe que a qualidade dos resultados que criamos em qualquer tipo de sistema social depende da qualidade de atenção, presença e consciência que mostram os participantes.Oferece ferramentas incríveis que pretendem reconectar o indivíduo consigo próprio, com os outros e com o ambiente através de um poderoso sistema. Também inclui o Teatro de Presenciamento Social como forma de incorporar os processos do método.

Sociocracia

É uma metodologia que oferece um sistema de governança que opera de baixo pra cima através de uma estrutura circular. É composta de poderosas ferramentas para tomada de decisão, resolução de conflitos, eleições de representantes em organizações e gestão descentralizada. De fato, a sociocracia poderia oferecer toda uma nova forma de governar uma empresa, escola e até mesmo um país com uma estrutura de poder distribuída.

Comunicação Não Violenta

Um modelo de comunicação que pretende tornar o processo de comunicação em algo mais compassivo e humanitário.Rosenberg percebeu que a maioria das pessoas querem se comunicar de forma empática, mas não possuem o vocabulário para expressar sentimentos e necessidades.É uma poderosa ferramenta de resolução de conflitos e auto conhecimento, essencial em qualquer tipo de organização que pretende oferecer um espaço acolhedor para seus integrantes.

Pensamento Sistêmico

É a base de todas as metodologias aqui apresentadas. De fato, é a atualização da ciência moderna para o século XXI. É uma abordagem que pretende ver o mundo como uma rede, como um emaranhado de complexas relações que se adaptam de acordo com as suas interações. Podemos dizer que um sistema é um conjunto de partes que interagem entre si. A raiz do pensamento sistêmico está na idéia de que cada parte do sistema influencia o todo(que por sua vez é maior do que a soma individual das partes).

O Trabalho que Reconecta

É um conjunto livre de atividades, que tem Joanna Macy como professora raiz, e surgiu há mais de 40 anos como uma resposta direta às crises sociais, ecológicas e econômicas do nosso tempo. Busca entender e encarar esses desafios com um olhar lúcido e coração aberto, e nos convida a uma reconexão conosco, com os seres e com o poder de cura que nasce da vida interdependente. Envidencia as conexões inatas que temos com todos os seres e nos inspira a assumir nosso papel na criação de uma sociedade que promove ​​e sustenta a vida.

Teatro do Oprimido

Desenvolvido pelo diretor de teatro brasileiro Augusto Boal. Suas explorações basearam-se no pressuposto de que o diálogo é a dinâmica comum e saudável entre todos os seres humanos, que todos os seres humanos desejam e são capazes de dialogar e que, quando um diálogo se torna um monólogo, a opressão se inicia. O teatro torna-se então uma ferramenta extraordinária para transformar o monólogo em diálogo. “Enquanto algumas pessoas fazem teatro”, diz Boal, “todos somos teatro”. Esta metodologia é essencial para empoderar designers sociais e fazer com que as organizações engajem no processo de regeneração na primeira pessoa através de um abordagem lúdica e gamificada.

Pedagogia do Oprimido

Proposta por Paulo Freire em 1968 como a nova visão da educação libertadora. Nós vivemos em uma sociedade onde experimentamos um eterno ciclo de opressão. E dentro deste ciclo, o maior sonho do oprimido é se transformar em opressor. A pedagogia do oprimido pretende romper com este ciclo e dar a opção ao oprimido de quebrar as correntes opressoras do sistema educacional. Através de uma visão compassiva e sóbria, Paulo Freire revolucionou a educação e construiu a base para o que hoje chamamos de facilitação. É a abordagem pedagógica que fundamenta o CollabDesign em todos os aspectos educativos. Paulo Freire é muitas vezes citado como o criador indireto do CollabDesign.

Estruturas Libertadoras

Estruturas convencionais são ou muito inibitórias (apresentações, relatórios de status e discussões gerenciadas) ou muito soltas e desorganizadas (discussões abertas e brainstorms) para engajar criativamente as pessoas no desenho de seu próprio futuro. Estas estruturas freqüentemente geram sentimentos de frustração e/ou exclusão e falham em prover espaço para boas idéias surgirem e germinarem. Estruturas Libertadoras introduzem pequenas mudanças na forma como nos reunimos, planejamos, decidimos e nos relacionamos uns com os outros. Elas colocam o poder da inovação, antes reservado apenas para especialistas, nas mãos de todos.

H3Uni

É uma aventura para novas maneiras de co-criar um novo padrão de vida que leva em consideração a complexidade, a interconexão e a emergência. Projetado para possibilitar e incentivar uma rede global de pessoas e organizações, com o objetivo comum de co-criar um futuro viável para todos, o currículo, os métodos de aprendizado e a psicologia subjacente têm esses objetivos em mente.As ferramentas do H3uni são incrivelmente simples e poderosas e 100% baseadas em processos colaborativos. É possível desenvolver processos altamente complexos com uma abordagem lúdica e focada na facilitação visual.

Biomimética 3.8

A biomimética pode ser muita coisa: um modelo mental, uma ferramenta de inovação ou uma ciência. Se observarmos a formação da palavra, conseguimos compreender de forma mais literal a sua acepção: bio significa vida, e mimesis é imitação. A biomimética, portanto, é a imitação da vida. Dessa forma, podemos resumir a biomimética de forma simplificada usando o título do livro da Janine Benyus: Biomimética é a inovação inspirada pela natureza. A biomimética é a conexão da natureza com o design, e é assim que a gente consegue compreender a sua importância para a resolução de problemas do mundo contemporâneo.

GameStorming

É uma compilação de processos colaborativos que são apresentados como jogos. GameStorming busca estimular o espírito criativo das pessoas através de uma abordagem lúdica e divertida. São muitos os processos mapeados pelo método e há um livro inteiro para ser apreciado onde é possível compreender com grande profundidade cada uma das propostas. A ideia é acabar com essa história de que a criatividade é algo restrito aos gênios inventores. Ao utilizar processos colaborativos e compreendê-los como um jogo é possível engajar equipes nos mais variados contextos com diferentes necessidades.

Processwork

É uma vertente da psicologia transpessoal que é apresentada como psicologia orientada à processos.Foi desenvolvido por Arnold Mindell e associados e foca em processos somáticos e suas relações com o corpo onírico. A partir do ProcessWork foram desenvolvidas inúmeras abordagens. Entre elas destacamos a Democracia Profunda e o WorldWork.Ao promover um diálogo entre o taoísmo, física quântica, shamanismo, conceitos oriúndos da cosmovisão de povos originários como os Aborígenes, psicologia Junguiana e inúmeras outras abordagens o ProcessWork oferece uma poderosa abordagem que se torna essencial para fundamentar processos colaborativos e transformação de conflitos.

Dragon Dreaming

É uma abordagem de sistemas vivos para o design colaborativo de projetos. Também inspirado na cultura aborígene, teoria do caos e complexidade, ecologia profunda e no pensamento sistêmico, Dragon Dreaming oferece uma meta-modelo que descreve qualquer tipo de processo de Design Colaborativo como um organismo vivo.Esta é a metodologia que embasa todo o processo do CollabDesign. É o padrão que reconecta, a diferença que faz a diferença. Vamos utilizar o meta-modelo desenvolvido por John Croft nos anos 90 para fundamentar o diálogo entre todas essas abordagens que aparentemente são tão distintas mas podem ser facilmente relacionadas a partir do modelo de organismos vivos.

Organizações Orgânicas

É um modelo de autogestão inspirado em Getting Things done, Sociocracia 3.0, Holacracia, Metodologias Ágeis e Reinventado Organizações. O2 oferece uma abordagem simplificada para organizações que buscam um modelo de autogestão que pode ser implementado e escalado em um contexto corporativo, cooperativo, associações e outros. Com uma linguagem simples e uma ampla biblioteca de conteúdos oferecida pela Target Teal, é possível apreender os conceitos básicos da autogestão e organizações evolutivas de forma simples e divertida.Se você está atrás de um modelo de autogestão para organizações orientadas à propósito, O2 pode ser justamente o que você está procurando para sair de um modelo de gestão hierárquico.

Como isso tudo se conecta?
Através de relações sistêmicas não lineares.

Descubra como funciona a nossa abordagem integrada através dos nossos cursos!